O prazer de presentear...



Está aberta a temporada de presentes e expectativas para quem dá e recebe. E também para o comércio, que passou longe de um ano lucrativo. Mas enquanto existir afetos e relações sociais, também existirá esperança.

Presente não é só um fato econômico ou uma invenção do mercado e da sociedade de consumo. Dar e receber presentes são uma das mais antigas atividades humanas, servindo essencialmente para comemorar datas, felicitar alguém, expressar gratidão, fechar acordos ou simplesmente reafirmar relações. Presentear é uma das melhores maneiras de demonstrar gratidão e carinho. E recebe-lo nos faz sentir queridos e especiais.

E o mágico de dar um presente é que quando o fazemos, também desfrutamos. Damos e recebemos ao mesmo tempo. É um costume que ajuda a manter as relações pessoais e de negócios funcionando bem, pois, como se diz, presente é agrado. E consolidar relações sem agrados fica meio complicado.

E um bom presente não precisa necessariamente ser caro. Ao contrário do que muita gente acredita, dinheiro não é garantia de um presente perfeito. O valor gasto não tem a menor importância. O que deve pautar a escolha é a observação do estilo de vida da pessoa que vai ser presenteada. Saber dividir o “eu” do “outro” na hora da escolha. Saber transmitir uma mensagem de consideração e carinho.

E para ser um bom presenteador, daqueles que conseguem arrancar sorrisos sinceros dos presenteados é fundamental dispor de tempo para se dedicar à procura de uma lembrança com algum significado. Porque o presente carrega uma mensagem subliminar. Por meio dele se expõe a consideração que se sente pelo outro. Sendo assim, os bons presenteadores sabem que um presente tem o poder de reforçar ou enfraquecer relações.

O fato é que, na prática, todo mundo tem de dar presentes. Desde sempre. Alguns sentem grande prazer em presentear, outros nem tanto. E outros somente presenteiam porque se sentem obrigados. Enfim, as pessoas presenteiam por diversos motivos e o ato de presentear está extremamente relacionado à dimensão simbólica.

Por isso, antes de planejar qualquer compra é essencial avaliar o grau de intimidade que se tem com quem irá receber a lembrança e em que ocasião será dada. Isso demonstra preocupação em não desagradar o presenteado com qualquer coisa sem significado. Um presente que certamente será esquecido no fundo de uma gaveta ou devolvido à loja no dia seguinte.