Cuidado, poder ser tóxico...



A primeira vista não é fácil identificar uma personalidade doentia, até que o comprovemos através das mesmas e negativas sensações de esgotamento, frustração e o alivio de se estar só. 

A pessoa tóxica e manipuladora é extremamente ciumenta, paranoica, infantil, egoísta e, sobretudo asfixiante, pois passa a maior parte do tempo em busca de confiança, aprovação e o reconhecimento dos demais. E para alcançar seus objetivos, faz com que andemos sobre a linha que traçar, inclusive muitas vezes usando de jogos sujos e sórdidos.

É uma pessoa que não aporta nada de positivo a uma relação, seja ela sentimental, amizade, trabalho ou familiar. Ao contrário. Em muitas ocasiões nos rouba quase toda a energia e apenas nos deixa respirar. É incapaz de construir qualquer vínculo sadio e minimamente cordial.

É mestre em deformar a realidade mediante suas mentiras e jogo de palavras. Em uma única frase pode misturar insultos, agressões e elogios de forma implacável.  É uma predadora. Não respeita a autonomia dos demais. Quer sempre impor suas ideias e critérios. É uma vampira social. Uma pessoa cujos princípios variam de acordo com seus objetivos e contexto, tratando que os demais se afastem de sua escala particular de valores.  É impermeável a culpa, e pior, manipula os fatos com tamanha maestria que acaba logrando que o outro se sinta sempre o culpado. 

É excelente estrategista. Paciente e constante espera até que consiga alcançar seus objetivos. Porém é pouco criativa. Adora semear a dúvida sobre as qualidades e competências dos demais, somente para desqualificá-los e minar a autoestima. Cria tensões, conflitos e depois oferece ajuda. Ou melhor, sua vida inteira, se possível. O que for preciso, pois esse é o momento mais oportuno para mostrar o quanto é encantadora e solidária. E há que admitir: esse tipo de pessoa possui uma grande capacidade de empatia. É a alma que te resgata de qualquer situação e te preenche os vazios, do menor ao maior. 

É uma vítima constante. Sua vida é sempre um drama. É derrotista, negativa, alarmista e chorona. Ou seja, o mundo vai mal e todas as desgraças recaem sobre ela, apesar de ser a melhor pessoa da face da terra, segundo ela mesma. Mas na verdade não é bem assim. E há que se tomar cuidado, pois as pessoas com que nos associamos influenciam diretamente em nossa mente e desempenho. Por isso temos que buscar pessoas que nos inspirem e nos impulsionem a ser melhores. E é importantíssimo saber avaliar e controlar melhor todo aquele que deixamos compartilhar de nosso mundo e nossas vidas. As pessoas a quem dedicamos tempo e buscamos para compartir ideias, informação e educação raramente tem um efeito neutral sobre nós.

Ou seja, ou nos ajudam a crescer e sermos melhores, ou nos sabotam e nos sugam aos poucos. Por isso, ao primeiro sinal de um manipilador, fuja imediatamente!