Será saudade da caverna?

                                                                                      Imagem: Google

“Sempre gostamos de considerar-nos menos selvagens do que os outros animais. Dizer que pessoas são humanas é dizer que são bondosas. Dizer que são bestiais, brutais ou simplesmente que se comportam como animais é sugerir que são cruéis e más. Raramente paramos para considerar que o animal que mata com menos motivo para fazê-lo é o animal humano.” Peter Singer

Nenhuma espécie que tenha passado por este planeta foi capaz de tamanho mal e destruição. Nos voltamos contra nós mesmos covardemente. Desprezamos o diferente de nós. Nos voltamos contra as outras espécies outorgando-nos direitos e propriedade sobre elas. Nos voltamos contra o lugar onde vivemos a ponto de achar que a natureza é uma coisa sem importância. Nos queixamos da violência e a perpetramos e perpetuamos diariamente, esquecendo a ética quando se trata dos nossos interesses pessoais.

E se existisse um mundo ideal? Um mundo totalmente separado deste em que vivemos, você gostaria de ter acesso a ele e diminuir a distância entre quem é você e quem você gostaria de ser?

Platão nos propõe que saiamos da caverna para conhecer a realidade. Que saiamos da escuridão e retiremos o véu da ignorância para que possamos enxergar a verdadeira realidade e conquistar o pleno conhecimento. Porém Sócrates sugere que somos como um rebanho de carneiros e necessitamos de um pastor para sobreviver. Sendo assim, sairíamos da caverna, porém veríamos os dias com os olhos de outro, acentuando nossa postura de mera contemplação no mundo. Acreditando que tudo já foi pensado e solucionado. Acreditando que a realidade e a verdade seriam apenas um modelo a ser seguido sem ser questionado, porque seria pré-estabelecido.

Quando a pessoa perde a capacidade de pensar, de indagar o mundo ao seu entorno apenas aceitando aquilo que lhe é transmitido, passa então a preocupar-se exclusivamente com os seus problemas e deixa morrer a única característica que a distinguia dos demais animais: o poder de pensar e questionar novas formas de viver e que possam nos remover da Caverna.


                                                         Imagem: Google