Onde encontrar a esperança?





Qual o desenho do novo cenário mundial? Quais são suas principais características, e como dominarão nos próximos anos?

A degradação estratégica dos EUA já começou. O sonho americano parece chegar ao seu fim, enquanto que o sonho de uma Europa forte e unida desaparece. Há crises por todos os lados. Na realidade não estamos suportando uma crise, mas uma série de crises. É uma soma de crises mescladas tão intimamente, umas às outras, que não conseguimos distinguir entre causas e efeitos, porque os efeitos de umas, são as causas de outras. Ou seja, enfrentamos uma autêntica crise sistêmica no mundo, e isso provoca nas pessoas uma tremenda onda de frustração, angústia, medo e ressentimento. Junte tudo isso, e o resultado é o ódio, e o repúdio ao outro.

As pessoas estão profundamente desencantadas. A própria democracia como modelo perdeu credibilidade. Os sistemas políticos foram sacudidos. Na Europa, os grandes partidos tradicionais estão em crise. Nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump, dono de uma retórica conservadora, maniqueista e reducionista, vem causando alvoroço com suas exigências narcísicas, e seus ataques que desconsideram e desrespeitam o direito da alteridade à diversidade. Um apelo aos baixos instintos de certos setores da sociedade, conferindo um caráter de autenticidade.

Com Donald Trump, uma nova cara emergiu dos Estados Unidos. A mudança no discurso político norte-americano, obra das esquisitices e provocações de Trump, continuam a nos surpreender com suas afirmações altamente contestáveis, quando o assunto é diplomacia mundial, comércio internacional e liberdade de expressão. Sequer parece lhe preocupar que suas declarações possam ser consideradas levianas e perigosas. E muito menos dá importância às consequências previsíveis e assustadoras que as mesmas possam representar.

Porém, há que lembrar que práticas, e disseminação de ideias que ameacem os direitos democráticos, podem ser perigosas. Quando a atitude, ou a ideia ferem os princípios da democracia, e a integridade da vida humana, não se pode tolerar.

E subestimar o mal é extremamente perigoso, porque os discursos de ódio podem instigar forças humanas destruidoras.  E destruição é um tema que já tomou as rédeas da vida coletiva e vem se espalhando rápida e sem limites, atravessando fronteiras assustadoras ao redor do planeta.