Amor em tempos modernos




Zigmunt Bauman, sociólogo e filósofo polones, revela que na construção do amor líquido, é idealizada a busca de satisfação com o outro e o divertimento sem fronteiras, cujo objetivo seria aproveitar o tempo presente. Sendo assim, nessa perspectiva não há porque se preocupar com o passado, nem com o futuro de uma relação, já que o presente é vivido sem limites. Ou seja, o compromisso com o outro, tanto no namoro como nos projetos de vida, não é bem-visto, já que limitaria a liberdade individual.

Me parece que o amor, para algumas pessoas, se caracteriza na maioria das vezes como um ato arriscado, e perigoso. Essas pessoas temem amar plenamente, porque não querem ser usadas no máximo de suas capacidades. Algumas porque querem viver sem limites e sem fronteiras, outras porque temem investir significativamente em um relacionamento e depois ser excluídas, quando a relação demonstrar seus primeiros sinais de desgaste.
Difícil.