sexta-feira, 14 de março de 2014

Simplicidade, um bem necessário!




Existem algumas histórias tão simples e ao mesmo tempo tão marcantes que a gente simplesmente não esquece. E essa é uma delas:

Um professor de filosofia entra na classe e diz: "Hoje teremos teste!" Em seguida pega uma cadeira e a coloca em cima de sua mesa. Vai até a lousa e escreve: Provem que essa cadeira não existe!

Imediatamente os alunos se olham e começam a escrever, confusos, certamente. Porém, passado alguns segundos um dos alunos levanta e entrega uma folha contendo apenas duas palavras: Que cadeira?

Essa historinha é só para lembrar o quanto as coisas podem ser simples quando descomplicamos o olhar, recondicionamos nossos hábitos e desconstruímos alguns conceitos que arrastamos durante a vida.

Às vezes vale a pena pararmos um pouquinho para redescobrirmos o que já sabemos: Nascemos simples, mas ao longo da vida nos complicamos. E por um motivo ou outro nos perdemos pelo meio do caminho, esquecendo que a simplicidade reside na consciência de que cada segundo deve ser usado a nosso favor, resolvendo a complexidade e fazendo o que é realmente necessário para mantermos a naturalidade diante da vida.